Peça do mês de Janeiro de 2017

Boas Festas
21 Dezembro, 2016
Chá com Arte
18 Janeiro, 2017

Peça do mês – Janeiro

Capela de Nossa Senhora dos Remédios -Viseu
Aguarela sobre papel, colada em madeira
Alberto Souza
1921, Século XX
79,6 cm x 63,7
CP – MA
Inv. Nº 84.865


O incremento da arte da aguarela em Portugal remonta aos finais do século XIX, destacando-se o contributo de muitos dos pintores portugueses da primeira geração do Naturalismo. O crescente prestígio desta produção pictórica vai despertando o interesse de vários artistas. Ao entrar no século XX surge uma verdadeira escola de aguarelistas portugueses, cujo percurso pode ser seguido, ano após ano, através das exposições promovidas pela Sociedade Nacional de Belas Artes.
O aguarelista Alberto de Souza (1880-1961) foi seguidor de Roque Gameiro, distinguiu-se pela excelência do desenho, pela limpidez da paleta e pelo sentido da luz. À semelhança do seu grande mentor, percorreu Portugal em incessantes pesquisas históricas e etnográficas que deram origem a uma variada e completíssima galeria de tipos e costumes regionais, monumentos e trechos de paisagem urbana, campestre e marítima. Foi também um notável ilustrador.
Assim, podemos ver retratada nesta aguarela a Capela de Nossa Senhora dos Remédios, em Viseu, junto ao Arco dos Melos, hoje Largo do Pintor Gata (antigo Terreiro da Erva). Esta capela foi construída em 1742 à custa das esmolas dos devotos para prestarem homenagem à sua padroeira, Nossa Senhora dos Remédios. A Capela apresenta uma arquitectura octogonal e terá vindo substituir uma anterior, do Século XVI, dedicada a São Sebastião. Em 1921 (data da obra) a capela estava caiada de branco, os ferros e a porta, pintados de verde. Do lado direito da capela podemos ver um muro de pedra com um portão vermelho e junto à capela, encontra-se uma mulher que passa embrulhada num xaile.