Peça do Mês de Setembro de 2016

Visita de Abel Lin, embaixador de Taiwan
3 Agosto, 2016
Junta de Freguesia da Azambuja
5 Setembro, 2016
Peça do Mês de Setembro de 2016

Peça do mês – Setembro
El Triunfo de Baco ou Los Borrachos
Óleo sobre Tela
Século XIX
Rafael Hidalgo de Caviedes
1655 cm x 225 cm
CP – MA
Inv. Nº 84.170

O pintor e restaurador espanhol Rafael Hidalgo de Caviedes nasceu no ano de 1864 e faleceu em Madrid, no ano de 1950. Estudou na Escuela de Bellas Artes de San Fernando e mais tarde trabalhou como restaurador no Museo Arqueológico e foi também professor na Escuela de Artes e Industrias.

Esta pintura é uma das melhores cópias da obra executada originalmente por Vélazquez no ano de 1629. Esta pintura, como tantas obras da coleção de José Relvas são homenagens, alegorias ou até publicidades a uma das maiores produções agrícolas da Quinta dos Patudos, o vinho.

Nesta pintura está representado o deus Baco, que coroa um dos sete bêbedos que o rodeiam com uma coroa de hera. Baco está sentado, enquanto o homem coroado está ajoelhado diante dele. Aos pés de Baco, uma garrafa e um jarro vazio. Alguns dos bêbedos ou borrachos assistem animados à coroação, enquanto dois deles olham sorridentes o espectador, em jeito de convite. Do lado esquerdo de baco encontram-se os homens já coroados, do lado direito os homens sem coroa.

A luz incide mais directamente sobre Baco, iluminando o seu corpo e a sua pele clara, que o distingue dos homens.

Esta cena representa a influência do deus Baco, deus do vinho, da embriaguez e dos excessos, sobre os homens, que lhes mostra os efeitos benéficos do vinho, que os liberta temporariamente dos seus problemas. Podemos encarar esta obra como uma paródia, pois na literatura barroca, época de concepção desta obra, Baco, libertava os homens da escravidão causada pela vida diária.

Foto – Rui Florêncio