Peça do Mês – Dezembro 2017

Peça do Mês – Novembro 2017
3 Novembro, 2017

A Sagrada Família
Óleo sobre tela
Matías de Arteaga
Século XVII
42,5 cm x 35,3 cm
CP – MA
Inv. Nº 84.143

Em Dezembro, celebramos o Natal. Desta forma apresentamos este mês uma obra retratando A Sagrada Família. O autor desta obra é Matías de Arteaga, artista sevilhano, que viveu entre 1633 e 1703, e que foi muito influenciado por pintores como Murillo e Valdés Leal.
O interesse para a vivência da Sagrada Família surgiu nos finais da Idade Média ao humanizar-se Cristo. Esta tendência é associada ao culto mariano. O tema destacou-se no Renascimento e foi popularizado pela doutrinação da Contra-Reforma, que o mostrou como o arquétipo da família cristã e exaltou a importância de São José enquanto protetor da Virgem e do Menino, resgatando-o do papel secundário que ocupou durante séculos. De acordo com esta ordem de ideias, chegou a estabelecer-ser um paralelo entre a Trindade Terrestre e a Trindade Celeste. A arte barroca deu-lhe novos matizes ao acentuar os laços afectivos que uniam Maria, o Menino e São José.
Nesta pintura é precisamente um destes momentos de intimidade que podemos apreciar. A cena decorre numa atmosfera de tal forma sombria que mal se consegue distinguir o espaço que a acolhe. Dizer-se-ia presenciarmos um trecho de descontraída convivência doméstica numa noite amena. A Sagrada Família ocupa o plano principal, banhado por uma luz suave, que desvenda o mínimo possível da penumbra. Maria encontra-se sentada à direita, em lugar de honra, e tem o Menino ao colo, observando como Este olha para o pai terrestre e aproxima a mão do seu rosto. São José, já com traços de idoso, repousa num cadeirão improvisado, em posição mais baixa do que a de Maria, e corresponde com um sorriso ao gesto carinhoso da criança. Em segundo plano vislumbra-se a custo um vulto, talvez um anjo, que contempla o episódio e ergue um braço ao alto, porventura a indicar que tudo isto sucede em obediência à vontade divina.