Peça do mês – Fevereiro de 2017

Chá com Arte
18 Janeiro, 2017
O Museu vai à Escola
1 Fevereiro, 2017
Apresentação no Templo
Óleo sobre madeira
Francisco Henriques
Século XVI
117,5 cm x 111 cm
CP – MA
Inv. Nº 84.578

No dia 2 de Fevereiro celebra-se a apresentação de Jesus no Templo, assim, escolhemos como peça do mês uma obra de Francisco Henriques que retrata esta cena bíblica.
Francisco Henriques era natural da Flandres, mas veio viver para Portugal no final do século XV. No século XVI, começou a trabalhar em vários projectos no nosso país, entre eles os retábulos do altar-mor e dos altares laterais da Igreja de S. Francisco, em Évora. O seu prestígio levou a que o rei D. Manuel I lhe fizesse várias encomendas; a última foi o coruchéu do Limoeiro, em Lisboa. Foi precisamente em Lisboa, que o pintor veio a falecer, com peste bubónica, em 1518.
A obra apresentada este mês pertenceu ao retábulo do altar-mor da Igreja de S. Francisco de Évora. Foi adquirida em 1918, por José de Mascarenhas Relvas ao antiquário Ramiro Mourão, da Praia da Granja, Vila Nova de Gaia. Nesta pintura podemos ver Maria a entregar o Menino Jesus ao velho Simeão. Junto deles estão ainda, do lado direito duas mulheres, uma delas é Santa Ana, que segura um cesto com duas rolas. Do outro lado, dois homens, um dos quais José. A apresentação no templo fazia parte do cumprimento dos rituais, em que a mãe do filho varão, aos quarenta dias do nascimento terminava o tempo de impureza legal com o rito da purificação, ou seja, com a apresentação da criança no templo, acompanhada de uma oferenda como por exemplo um cordeiro ou um par de rolas ou pombinhos. Maria, pelo seu carácter imaculado, não necessitava, de acordo com a tradição da Igreja, de se submeter a tal prática, mas mesmo assim quis cumprir os preceitos legais. A cerimónia aqui apresentada decorre no interior de uma edifício de traço clássico, sendo todo o fundo ocupado por uma sucessão de arcarias. Nos intradorsos de alguns dos arcos distinguem-se cuidados caixotões. Ao alto vê-se um candelabro com um remate em forma de pomba do Espírito Santo e um tintinábulo na base. Junto à abside distingue-se um dossel vermelho, aberto ao modo de pavilhão eucarístico, certamente a resguardar a Arca da Aliança. O arco central que domina a construção tem a ornamentá-lo dois perfis de guerreiros. Decorando algumas pilastras vêem-se as representações de três estátuas de profetas. O altar é formado por uma mesa comprida apoiada em quatro colunas, guarnecida por uma tapeçaria e uma toalha branca. No pavimento sobressaem os ladrilhos de cerâmica levantina.